Frase

"A Revolução Francesa começou com a declaração dos direitos do homem, e só terminará com a declaração dos direitos de Deus." (de Bonald).
São Paulo, domingo, 19 de outubro de 2008

Coroação faz transparecer a sacralidade do poder temporal

Autor: Edson Oliveira   |   20:52   Seja o primeiro a comentar

No minúsculo reino de Tonga, na Polinésia, foi coroado George Tupou V [foto]. Ele foi ungido pelo arcebispo — infelizmente anglicano –– e recebeu o cetro, o anel e a coroa, ornada de flores de lis e encimada por uma cruz.

Entre os 1000 convidados de honra figuravam o príncipe imperial japonês Naruhito e o duque de Gloucester, da Grã-Bretanha.

21 disparos de canhão, o reboar dos sinos e o entusiasmo do povo saudaram a coroação. A cerimônia evocou, em modesta escala, as pompas da realeza britânica, herdadas da Idade Média católica.

A chefia do Estado tem uma sacralidade intrínseca, e para atingir seus fins deve se guiar pela Lei Divina. O laicismo anticristão, que infecciona o Ocidente após a Revolução Francesa, é a causa das continuadas degradações nos governos.

(Fonte: Revista Catolicismo)

0 comentários: