Frase

"A Revolução Francesa começou com a declaração dos direitos do homem, e só terminará com a declaração dos direitos de Deus." (de Bonald).
São Paulo, quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Para ONG, não há diferença ontológica entre pessoas e animais

Autor: Edson Oliveira   |   14:56   4 comentários

A ONG ASSOCIAÇÃO ANIMAL, uma organização não-governamental de “defesa dos direitos fundamentais dos animais não-humanos”, está chocada com o bom senso.

Em uma entrevista ao semanário Sol, o deputado português Paulo Rangel (PSD) criticou o direito dos animais e a tentativa de os igualarem aos seres-humanos.

No blog da ONG, está escrito que o parlamentar revelou uma visão “medieval” e “um assustador trogloditismo pré-científico, racionalmente oco, socialmente atávico e politicamente irresponsável”.

Até mesmo a afirmação de que há uma separação ontológica entre os animais e as pessoas não deixou de receber os protestos caducos da tal ONG.

Segue algumas frases de Paulo Rangel, tão conexas com a realidade, que escandalizaram a ONG:

- “Não faz sentido haver um Dia do Cão.”

- “Também não [faz sentido haver um Dia dos Animais]”.

- “Um cão nunca deixa de ser um cão. Trocaria a vida do meu cão pela vida de qualquer pessoa em qualquer lado do mundo, mesmo não a conhecendo. Uma pessoa vale sempre mais do que um animal.”

- “Os animais merecem protecção mas não são titulares de direitos.”
- “Não são eles que têm esse direito [de ser bem tratados e protegidos]. Nós é que temos essa obrigação.”

- “Para mim essa é uma concepção errada [a de que os animais devem ter direitos]. Acho que só as pessoas devem ser titulares de direitos.”

- “Os animais [também sofrem], mas não sofrem como nós.”

- “A caça ou as touradas, enquanto tradições com determinadas características e determinados limites, são toleráveis. Fazem parte da Cultura.”

- “Muitas tradições não acabaram e estas [caça e touradas] são daquelas que para mim não devem acabar.”

- “Faço uma separação ontológica entre as pessoas e os animais.”

- “Num contexto cultural devidamente integrado, certas tradições [como a caça e as touradas] – ainda que possam chocar algumas pessoas – são admissíveis. É a minha posição.”

- “Não sou contra [a exibição de touradas na RTP].”

- “Desde que devidamente contextualizado [a transmissão de touradas pela RTP, televisão do Estado, expondo as crianças à violência contra os animais], não vejo nisso qualquer problema.”

- “A menos que esteja em causa a extinção de espécies, não acho mal [utilização de peles para confecção de vestuário].”

- “A dignidade humana é um valor superior ao da dignidade dos animais. O Homem é ontologicamente diferente dos restantes animais.”

Após apresentada esta relação dos depoimentos “chocantes” do deputado, a ONG pergunta: “Como é possível alguém poder pensar desta maneira nos dias de hoje?

O Blog oficial da Associação Animal conclama seus aderentes a enviarem e-mails de protestos para o deputado.

Já o Blog “O Povo”, em oposição à ONG, pede “a todos os humanos que se reconhecem ontologicamente diferentes dos outros animais, que também se manifestem, enviando um e-mail de apoio ao bom senso de Paulo Rangel para os seguintes endereços: psd@psd.pt e gp_psd@psd.parlamento.pt"

4 comentários:

Esses caras só podem ser idiotas! "Igualar os animais e o homem", ouvi direito? kakakakakakaka.....
Falando sério, eu odeio touradas e adoro carne de caça (é bem cara!). Odeio que maltratem animais, mais essa de igualar homem e animal, só se a equação for: esquerdista=animal.
Só o típico esquerdista teria um pensamento assim (eu sabia, sabia que eles adoravam se igualar a animais!!!).
rsrsrsrs...

Saudações Alteza!
Acho que houve uma fuga do hospício e os loucos fundaram uma ONG, Deus me livre!
Daqui a pouco vão dizer que quem come carne de bicho é antropófago!
Um grande abraço!
Maximiano

Pode ser traçado um paralelo entre esse assunto e os de outras defesas de "perseguidos" - mulheres, negros, gays, índios, etc., etc.

Em todos os casos sobressai-se um dos piores venenos mentais da humanidade: o marxismo.

Notem que o foco reduz-se ao simplismo bipolar de opressor X oprimido. E essa relação imbecil é tão necessária para os marxistas, que após a queda dos regimes socialistas da URSS e do Leste Europeu eles se vêem desesperados para fomentar aonde quer que se imagine essa dicotomia. Assim, o homem oprimiria a mulher, os brancos seriam opressores dos negros, e assim por diante, chegando ao cúmulo do caso tratado aqui, de seres humanos "oprimindo" animais. Quem não se manifesta positivamente em relação ao pobre "perseguido" sofre reação similar a dessa ong (uma das drogas da modernidade, falando nisso).

Se vcs não respeitarem os animais, que muitas vezes são nossos companheiros, ajudam na recuperação de pessoas, etc, imagine o que vcs pensam da Floresta, não é? "É só um monte de folha que so faz sujar o mundo..." Vcs são uns idiotas mesmo... Que respeito vcs darão aos seus filhos? E esse "DAPUTADA" deveria estar procurando o que fazer ao invés de falar merda por aí...