Frase

"A Revolução Francesa começou com a declaração dos direitos do homem, e só terminará com a declaração dos direitos de Deus." (de Bonald).
São Paulo, sábado, 27 de março de 2010

Nos bastidores do PNHD 3 - Parte 2

Autor: Edson Oliveira   |   23:02   Seja o primeiro a comentar

Vamos para a segunda parte da palestra do Ministro Vannuchi.


Confira também:

Neste vídeo Vannuchi nos diz sobre o motivo que levou Lula a nomeá-lo. O presidente queria uma pessoa de confiança para levar em frente o que é chamado pelo PNDH como “Comissão da Verdade”. Esse era o principal ponto para nomeação do novo secretário dos Direitos Humanos.

Mensalão

Vannuchi relata as dificuldades que enfrentou, em 2005, ao assumir a Secretaria que recentemente tinha perdido o status de Ministério.

E ele explica a causa desse rebaixamento:
“No auge da crise do mensalão, aqueles conselheiros do Rei que vão lá negociar com poderosos, teria ido dialogar com alguém [sobre] o que que dá para fazer para maneirar um pouco o noticiário do jornal etc. E a resposta: Não, é muito ministério, reduz uns dez.”

Ou seja, foi uma manobra do governo para tentar desviar a imprensa do foco do Mensalão.

Ainda nesta parte da conferência, há novamente o balançar do turíbulo para incensar FHC pelo PNDH. Em várias vezes é ressaltada a idéia de continuidade e não de oposição no que se refere aos “direitos humanos” entre os dois governos ditos de oposição. Como está afirmado na primeira parte desta série de artigos, por detrás do rótulo de "direitos humanos", um PNDH significa todo um programa de governo.

Para concluir estas notas introdutórias, Vanucchi, em certo momento, acusa Aécio Neves (PSDB) de ser capaz de demitir pessoas das redações dos jornais, se assim for preciso. Diga-se de passagem que tal capacidade não é privilégio somente do político mineiro: Boris Casoy - "Fui tratado como bandido".

Segue o vídeo:

0 comentários: