Frase

"A Revolução Francesa começou com a declaração dos direitos do homem, e só terminará com a declaração dos direitos de Deus." (de Bonald).
São Paulo, quarta-feira, 5 de maio de 2010

Educação escolar: 1969 - 2009

Autor: Edson Oliveira   |   14:21   4 comentários

4 comentários:

Saudações
Realmente a situação nas escolas é terrível, sendo esta situação, resultado do trabalho subversivo dos comunistas.
Sendo que a base do sucesso da revolução comunista é, a "politização das massas", lugar melhor do que as escolas para esse intento não há, pois, as crianças são como cadernos em branco em que, os criminosos comunistas, escrevem aquilo que querem que as crianças venham à
desempenhar e ser no futuro, quando já forem adultos, agindo sempre e às vezes sem perceber, de acordo com os interesses da revolução!
Coisa semelhante ocorre em outras instituições ou grupos com viés educacional,como os seminários, cursos de alfabetização para adultos, cursos superiores, escolas de formação militar, cursos de formação de policiais e por aí vai!
Nas escolas de primeiro e segundo grau, a coisa é mais grave, porque as mentalidades de seus alunos ainda não foram completamente desenvolvidas e, nos demais casos, a doutrinação encontra maior resistência no corpo discente.
Eu mesmo já provei do amargo veneno destilado pelas serpentes vermelhas, quando cursei direito, sendo que este veneno somado a perseguição rasteira e suja do esquerdismo, não deixou de produzir prejuízo em minha vida, como já pude constatar com outras pessoas também.
Um fraterno abraço!

Caros Edson, Maximiano,

Sou de uma família de professores e é com tristeza que lhes confirmo a mensagem contida na charge.

Maximiano, você está certíssimo quanto à contaminação marxista nas salas de aula - do ensino médio à universidade. Porém, a reação exposta na charge advém de um problema bem mais profundo que afetou a nossa sociedade e, sim, pode - certamente o é - ser decorrente de uma estratégia gramsciana de longo prazo, o chamado marxismo cultural.

Um dos itens dessa estratégia, enunciados pelos marxistas da Escola de Frankfurt, consiste na desintegração da tradicional família nuclear cristã. Ora, um dos fatores que concorre para essa desintegração é precisamente a crítica à autoridade - primeiro dos pais e, depois, a dos mestres.

Destrói-se, assim, de um modo sorrateiro, a base cristã, que prescreve, dentre outros, a aplicação da autoridade dos pais na criação dos filhos. O que temos hoje, na maior parte, são pais que não "ousam" curvar os filhos à disciplina e tampouco se sente à vontade quando outros - professores, por exemplo - tentem fazê-lo.

Certo, também, que contribui para essa situação o despreparo de pais, que amiúde já foram criados sem noção de respeito, autoridade e disciplina. E, não se pode deixar de considerar o fator ausência, tão comum atualmente, em que ambos os pais trabalham fora o dia todo, mal vivenciando o crescimento do filho e imaginam angariar o amor deste à troca de tratá-lo com uma terrível cumplicidade.

Certo, ainda, que se isso não foi preparado pelos diabólicos marxistas de Frankfurt, com certeza atendeu perfeitamente aos seus anseios de demolição da tradição familiar cristã.

Abraços
Eduardo

A educaçao hoje e muito melhor do q no passado.

A charge retrata a inversão dos valores na sociedade diante da visão que os indivíduos tinham em relação a educação, pois o professor era tido como o ponto principal do processo educativo e hoje o professor não é mais visto pelo sociedade desta forma, hoje ele não tem valor para os indivíduos.