Frase

"A Revolução Francesa começou com a declaração dos direitos do homem, e só terminará com a declaração dos direitos de Deus." (de Bonald).
São Paulo, sexta-feira, 13 de maio de 2011

Senado adia votação do PLC 122/2006: a lâmina da guilhotina permanece suspensa

Autor: Edson Oliveira   |   13:38   5 comentários



Ainda não foi desta vez que os senadores fizeram cair a lâmina da guilhotina suspensa sobre a cabeça de todos aqueles que, por dever de consciência ou mera retidão natural de espírito, são contrários à prática homossexual, sobretudo quando exibida despudoradamente em público.


Segundo notícia divulgada em 13 de maio no site do Senado, a votação do PLC 122/2006 estava prevista para ocorrer na manhã de quinta-feira (12/5/2011), na Comissão de Direitos Humanos (CDH) daquela Casa Legislativa, mas a relatora desse Projeto de Lei, Marta Suplicy (PT-SP), pediu para retirar a matéria de pauta, assustada “com a rejeição por parte de igrejas cristãs com relação ao projeto”.

Conhecido como “lei da homofobia” ou “lei da mordaça”, o PLC 122/06 visa coibir e penalizar manifestações contrárias à prática homossexuais em locais públicos e privados.

A Senadora Marta Suplicy, numa tentativa de atenuar as reações de setores religiosos ao cerceamento da liberdade de expressão, disse em tom pretensamente conciliatório que “quando me colocaram que o problema não era a intolerância e o preconceito, e sim uma questão de liberdade de expressão dentro de templos e igrejas, aceitei. A liberdade está preservada”.

No dia 26 de março deste ano, em entrevista para o programa “Cidadania” da TV Senado, Marta Suplicy explicou melhor o alcance desse “recuo”: “Eu tenho também que proteger essa liberdade deles de poderem falar dentro de um templo”.

Bem entendido, circunscreve a liberdade apenas ao interior das igrejas, pois, como ela mesma precisou logo em seguida: “tomei o cuidado de que em mídia eletrônica não pode fazer isso”.

Portanto, não só os indivíduos, mas também rádios, TVs, blogs, sites, etc. todos estarão sob a censura da “Ditadura Homossexual”. Se aprovado esse Projeto de Lei você estará sujeito a pagar uma multa de R$ 10.000 reais e ainda poderá ser condenado a vários anos de prisão.

Fora das igrejas, só haverá liberdade para o silêncio cúmplice do pecado. Em outras palavras, você terá que aceitar uma babá, professor(a) ou empregado(a) homossexual, por exemplo.

A pessoa pode não ter culpa de ser portadora dessa tendência, mas é culpada caso se deixe arrastar por ela. Assim, o verdadeiro amor às pessoas que se entregam à prática homossexual é rezar por elas e fazer o que estiver ao nosso alcance para que deixem esse vício tão contrário à Lei de Deus e à própria Lei Natural.

5 comentários:

Falemos enquanto é tempo! Pois, se aprovada a lei, estaremos, de acordo com ela, cometendo crime: ou seja, seremos nós uns fora-da-lei.
Lutemos para que no Brasil não se estabeleça a anti-ordem que é o que tanto temia Santo Agostinho!

Hoje em dia tudo virou preconceito, discriminação. Se não aceitamos uma certa situação somos tachados de hipócritas, atrasados, preconceituosos, carrascos...
Só que eles não percebem que a grande maioria da população é contrária à essa grande revolução homossexual. Não só a Igreja e as seitas, mas também a grande massa populacional. Só quando pararem para olhar para o povo irão perceber quanta burrice estão fazendo.

A inversão da ordem estabelecida por Deus, Vladimir, é uma das metas dessa Revolução que assola o ocidente cristão desde o fim da Idade Média.

Nós somos a geração que está presenciando acontecimentos que somente os mais utópicos revolucionários de séculos atrás podiam vislumbrar.

Tháina, agradeço seu comentário, espero que volte mais vezes aqui.

Você levanta um problema que muitos hoje se põe. A Revolução anti-cristã está num estágio estranho, parece que ela está com pressa e por causa disso está atropelando a opinião pública. Resta-nos saber se a opinião pública terá vigor para reagir a altura. Rezo para que sim.

Fico muitas vezes me perguntando;Qual o verdadeiro objetivo dos nossos congressistas e do governo na aprovação da pl122/06? matutei,e,cheguei a uma ipótese;existe em nosso sistema de lei o chamado "jurisprudencia" isto é,a decisão de um juiz poderá ser tomada a partir de um antecedente jurídico. O objetivo desta lei é criar um antecedente.Para que? não se espantem se surgir uma nova lei criminalizando quem criticar um político corrupto,assim ficará oficializada a robalheira e a corrupção! que Deus nos proteja. Ronaldo R.Romualdo