Frase

"A Revolução Francesa começou com a declaração dos direitos do homem, e só terminará com a declaração dos direitos de Deus." (de Bonald).
São Paulo, quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Qual foi a razão das navegações portuguesas?

Autor: Edson Oliveira   |   18:12   3 comentários

Holy War, Nigel Cliff, História, Navegações portuguesas, Vasco da Gama

Responda rápido. Vasco da Gama recebeu ordens do rei de Portugal para achar o caminho para as Índias. Qual era o objetivo da missão?

A) Inserir Portugal no comércio de especiarias;

B) destruir o poderio comercial e marítimo do Islã;

C) selar uma aliança com um lendário monarca cristão do Oriente e reconquistar Jerusalém;

D) todas as anteriores, com prioridade para “B” e “C”?

Se você foi um bom aluno de escola pública e decorou os livros do MEC, então certamente você errou.

Holy War do historiador
Nigel Cliff
Acertou quem escolheu a letra "D". A pergunta e as opções acima foram colocadas na Folha de São Paulo por Reinaldo José Lopes em seu artigo "Vasco da Gama queria retomar Jerusalém" (23/10/2011) sobre os livros Holy War do historiador britânico Nigel Cliff e Por Mares Nunca Dantes Navegados do americano Ronald Watkins que narram a finalidade bélica das navegações portuguesas que continuaram as cruzadas na luta contra o Islã.

“Somente no nível mais superficial esta é a história do monopólio comercial de especiarias”, afirma o americano Ronald Watkins . “Para os envolvidos, tratava-se das Cruzadas, em manifestação diferente, mas com o mesmo objetivo. Acreditava-se que passar uma descompostura nos islâmicos que controlavam o portal para as especiarias enfraqueceria os infiéis e levaria à reconquista de Jerusalém.”

Leia o artigo de Reinaldo José Lopes na íntegra no site da Folha (assinantes)

Elaine Sanceau

Convém observar que uma conterrânea de Nigel Cliff é uma das maiores historiadoras das navegações portuguesas cujos livros este blog recomenda vivamente: Elaine Sanceau. A famosa historiadora teve seu primeiro contato com as navegações quando passou a frequentar o Real Gabinete Português de Leitura do Rio de Janeiro depois que mudou-se com seus pais para o Brasil.

3 comentários:

Até que enfim que no estrangeiro (Brasil,+/- 1/2)se percebeu que a bandeira, que D. Manuel deu a Vasco da Gama, foi a Bandeira da Ordem de Cristo e não a portuguesa.
E de quem queria fazer uma manobra de envolvimento ao Islão para acabar com o seu poder económico e militar.

A Ordem de Cristo é a Ordem dos Pobres Cavaleiros de Cristo fundada em Jerusalém, também conhecida por Templários e que foi destruida por ordem de um rei francês aliado a um papa indigno. Só sobreviveu em Portugal! Com portugueses.

A Ordem sempre foi muito popular em Portugal, antes mesmo da sua aprovação. A 1ª propriedade foi-lhes dada pelo rei Balduíno de Jerusalém; a 2ª foi a Quinta (=Fazenda) da Fonte Arcada no Minho. Antes ainda de entrarem em combate no Reino Latino, já guardavam a zona sul da estrada de Coimbra -na pior fronteira da época: Extrema(=fronteira)+dura.

Os livros de Eliane Sanceau são espetaculares já li D. Manoel, e estou lendo agora: "O sonho da India" que trata esatamente deste ponto que os portugues foram para lá destruir o Islã e levar a verdadeira fé.

O livro de Eliane Sanceau sobre o grande Afonso de Albuquerque é notável. Recomendo vivamente.