Frase

"A Revolução Francesa começou com a declaração dos direitos do homem, e só terminará com a declaração dos direitos de Deus." (de Bonald).
São Paulo, quinta-feira, 22 de março de 2012

Manifestação pela CPI do aborto e a cartada de mestre

Autor: Edson Oliveira   |   11:37   6 comentários



Ontem, quarta-feira, dia 21, compareci à manifestação na Praça da Sé, em São Paulo, para apoiar a iniciativa de Dom Luiz Gonzaga Bergonzini, bispo emérito de Guarulhos, que pede a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre o aborto e mostrar a verdadeira face da cultura da morte no Brasil.

(Foto acima: Manifestantes antiaborto protestam na catedral da Sé. Folha de São Paulo, 21/3/2012)

O evento contou com a participação de mais de 100 pessoas que começaram a se reunir às 11h da manhã nas escadarias da Sé e seguiram em passeata até a praça João Mendes onde o prelado entrou com um pedido, no Fórum, para a abertura da CPI.

Dom Bergonzini pede também esclarecimentos sobre os interesses econômicos de instituições estrangeiras como a Ford que "destinam milhões de dólares ao negócio do aborto no Brasil" (Cfr. ACI, 16/3/2012).

Leiam mais na sobre a manifestação na Folha de São Paulo, O Estado de São PauloTerra NotíciasYahoo Notícias, Jornal Agora, e na rádio CBN. O site Último Segundo também publicou uma matéria com dois vídeos, bem no estilo faccioso desse canal de notícias do site IG. Mas transcrevo um trecho da reportagem:

"Procurada pelo iG, a CNBB afirmou que tinha conhecimento da manifestação, e que seu posicionamento quanto aos panfletos continua sendo o mesmo daquele divulgado em 2010 - o de condenar o uso eleitoral da fé cristã. No entanto, de acordo com sua assessoria, a Conferência atribui a responsabilidade ao Regional Sul I, acrescentando que não pode intervir em uma diocese, cuja palavra final é a do bispo."

Cartada de mestre

Mas o que eu gostaria de destacar é a cartada de mestre contra um minúsculo grupo de feministas qye portavam um cartaz blasfemo ("Tirem os rosários de nossos ovários") e que tentaram tumultuar a manifestação. Em certo momento, começou uma discussão entre elas e alguns participantes do evento. Quando a coisa começou a esquentar - o que só poderia favorecer as feministas que se ressaltariam, apesar de seu número insignificante -, um jovem que estava falando no microfone teve uma ideia brilhante:

"Vamos todos nos ajoelhar agora, aqui na praça, e vamos rezar uma Ave-Maria. Só fica de pé quem for favorável ao aborto". Todos obedeceram e, no meio de tudo, as cinco feministas ganharam o destaque que tanto desejavam. Ficaram isoladas, em pé, entre de 100 pessoas ajoelhadas rezando. Mas parece que não era bem esse o destaque de almejavam. Pois em questão de 2 minutos se retiraram para um canto da manifestação onde permaneceram mais uns 15 minutos e depois deixaram o local.

Realmente, foi uma cartada de mestre.

6 comentários:

A fulana que liderava a pequena agitação contrária se chama Elisa Gargiulo. Toca numa banda mixuruca e se proclama como militante lésbica. Segue o twitter dela com comentários sobre a TFP e o evento:

https://twitter.com/#!/elisagargiulo

Quando nos ajoelhamos com humildade diante de Maria, Ela se levanta em nossa defesa. Que pena que ainda existam pessoas que não a conhecem e a benção que é tê-la como Mãe. Quanto à mim eu entrego não só o meus ovários mas todo o meu ser para Nossa Senhora.

Realmente vsc estão de PARABÉNS.Como me sinto mal por não poder estar lá. Olha a coragem deste Bispo!!!Que Deus lhe dê mta força e luz para continuar lutando pela defesa da VIDA !!!VERGONHA da CNBB, OMISSA E POLITICAMENTE COMPROMETIDA COM TUDO , MENOS COM CRISTO!!!! Nós, católicos, sacerdotes , leigos comprometidos devemos ,em nossas comunidades,reagir contra esse assassinato em massa.
Carmen Lucia

Será que não seria interessante, nessas situações(feministas hipócritas e agressivas querendo perturbar uma manifestação pacífica) convidar uma dessas hediondas a dizer o que ela pensa ALI?

Explico: seria uma lição de democracia, para essas imbecis intolerantes. E, em segundo lugar, oportunizaria a refutação das falácias e fraudes abortistas ALI mesmo, também.

Claro, por outro lado, duvido que uma agressora dessas topasse a parada. São covardes demais para isso, além de no fundo terem consciência da falta de fundamento para suas mentiras.