Frase

"A Revolução Francesa começou com a declaração dos direitos do homem, e só terminará com a declaração dos direitos de Deus." (de Bonald).
São Paulo, sexta-feira, 25 de maio de 2012

Nova moral e nova religião universal são bases de um novo Império Romano persecutório

Autor: Edson Oliveira   |   10:37   1 comentário


No dia 23 de maio o Instituto Plinio Corrêa de Oliveira promoveu mais um importante evento na capital paulista. O palestrante, Mons. Juan Carlos Sanahuja, veio da Argentina para alertar ao público brasileiro sobre a ameaça da nova religião universal imposta pela ONU.

(Foto acima: da esquerda para a direita: Prof. Felipe Neri, Dr. Plinio Xavier da Silveira, Mons. Sanahuja, Sr. Luis Dufaur e Dom Bertrand de Orleans e Bragança.)

Dr. Plinio Xavier da Silveira abriu da conferência, em nome do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira, e o Cel. Paes de Lira fez a apresentação do palestrante e do tema com a leitura do prefácio que escreveu para o livro de Mons. Sanahuja, lançado no evento: Poder global e religião universal.

O sacerdote argentino denunciou uma importante arma da guerra psicológica para a implantação de uma nova moral: a “revolução semântica”, que visa a confundir e embaralhar o significado das palavras, utilizando certos termos conhecidos, mas dando a eles um sentido diverso do original para assim induzir suas vítimas a uma baldeação ideológica inadvertida (Cfr. Baldeação ideológica inadvertida e diálogo, de Plinio Corrêa de Oliveira).

A palavra família, por exemplo, tão simpática a todos, embora conste em documentos da ONU, é entendida no vocabulário revolucionário não como uma instituição constituída entre um homem e uma mulher e seus respectivos filhos, mas como qualquer coabitação entre duas pessoas, mesmo sendo ambas do mesmo sexo, para relações sexuais.

A revolução semântica, mostra Mons. Sanahuja, é uma verdadeira invasão das consciências. O “novo poder global” pretendido pela ONU visa a imposição de uma nova moral ao mundo inteiro. A aceitação da prática homossexual, do aborto, da anticoncepção e dos assim chamados direitos sexuais e reprodutivos são temas sensíveis e indiscutíveis para a nova moral.

“O novo poder global precisa de uma religião universal”, afirmou Mons. Sanahuja apontando que a conferência Millennium World Peace Summit of Religious and Spiritual Leaders [Cúpula do Milênio de Líderes Religiosos e Espirituais pela Paz Mundial] , ocorrida em Nova Iorque, em agosto de 2.000, realizada pela ONU, se manifestou contra as religiões “dogmáticas”, como portadoras do “fundamentalismo”.

Segundo dados apresentados pelo conferencista, em reunião internacional preparatória para o Cairo+10 em 2004, intitulada “Direitos Sexuais e Reprodutivos, cultura e religião”, organizada pelo Fundo de Populações das Nações Unidas e pelo governo holandês, afirmava que foi “vital” intervir recursos humanos e fundos para “convencer aos líderes religiosos a democratizar seu discurso em matéria de direitos sexuais e reprodutivos”.

Um exemplo que chocou a todos foi o ocorrido com a Caritas Internacional que adotou esses objetivos da FPNU “como se não houvesse uma conduta católica multi-secular para ajudar os mais necessitados”, disse Mons. Sanahuja. Para ele, Caritas, organismo da Santa Sé, adotou essa posição através da secretaria-geral do órgão, Lesley-Anne Knight, uma “teóloga” da libertação, que tomou posse do cargo por imposição das Caritas de países ricos. Na Argentina, exemplo citado pelo conferencista, as farmácias da Caritas distribuem anticonceptivos. Tal situação levou a Santa Sé, no dia 27 de abril, a determinar seu direito de veto na escolha dos indicados para os cargos administrativos e recentemente outra pessoa tomou posse da secretaria-geral.

No final, Mons. Sanahuja respondeu a perguntas e coube ao príncipe Dom Bertrand as palavras de encerramento, lembrando que o Brasil vai mar alto nessa Revolução para extinguir a verdadeira religião e os princípios católicos. Exemplificou com o Estatuto da Diversidade Sexual, que entre outras coisas pretende que o SUS pague as cirurgias de mudança de sexo, oferecendo tratamento hormonal com este fim para jovens… desde os 14 anos!

O Príncipe Imperial exortou todos a seguirem as palavras de Santo Antônio Maria Claret: A Dios rogando y con el mazo dando, o que, em tradução livre, significaria: “A Deus rezando, e com o tacape dando”. Segundo D. Bertrand, devemos rezar e envidar todos os esforços legais e pacíficos para impedir a imposição dessa nova religião atéia e ditatorial, que pretende colocar a Lei de Deus e a civilização cristã de cabeça para baixo.

1 comentários:

INFILTRAÇÕES NA IGREJA DO SOCIALISMO/COMUNISMO = TEOLOGIA DA LIBERTAÇÃO/MARXISMO CULTURAL - NWO/SHA
A Teologia da Libertação/Marxismo Cultural é uma heresia criada pelo Socialismo/Comunismo Internacional com alguns vínculos também com o protestantismo e maçonaria para minar a Igreja Católica Tradicional e a democracia por meio partidos socialistas/comunistas; os pressupostos se baseiam em experiência anterior do comunismo de se impor pela violência e não obter bons resultados.
Trata-se de nova tática subversiva agindo na mídia, comprando-a para se propagar e infiltrando agentes da Internacional Socialista desde Stálin – há mais sociedades secretas no processo de tentar implodir a Igreja, passando-se por sacerdotes e até bispos ordenados, distorcendo-lhe a doutrina, dando conotação socializante, embora pareça ser religiosa, para atingir aqui o paraíso; os exemplos desses são os países-prisão: Cuba, Coreia do Norte etc. A China - nesse país há constantes denúncias de macabras indústrias processadoras de fetos abortados dessecados, transformados em alimentos... etc. e membro da TLs são apostasiados, como ex freis Boff e Betto, etc., e se esforçam por destruí-la, negando sua transcendência doutrinária e credibilidade.

Note-se que no doutrinamento a TL/MC usa os mesmos termos eclesiais, apenas ideologizando-lhes o sentido, com poucas diferenças; facilitando a perversão de quem não souber do sofisma para camuflar a verdadeira intenção: subverter a pessoa por falsa doutrina.
Um dos pilares de revolta contra a Igreja é por nos propor não participar do ateísmo comunista, do mundanismo e orgias do pansexualismo e por acusar de heréticos e satânicos as ações de seguidores de teorias e práticas marxistas.
Idem, por a Igreja acusar de desfamiliarizarem a sociedade, aliená-la, atiçando a cobiça e inveja em lutas de classes e a violência e favorável às mazelas morais – BBBs da vida, uniões gays, feminismo, aborto, eutanásia, indistinção sexual, pedofilia, seitas, etc., pois uma sociedade amoralizada e desagregada facilitará a implantação da Nova Era - NWO/SHA - supermercado de religiões ocultistas - por sinal pertencente às seitas secretas e materialistas.
O próximo passo seria o controle pessoal pelo microchip, previsão de instalação inicial para breve nos EUA.
O S/C - TL/MC são condenados por todos os S Padres unanimente sob todas as formas e modelos, com pena de exclusão automática a católicos que se filiarem, colaborarem sob qualquer forma ou pretexto, inclusive votar em candidatos e partidos SOCIALISTAS/COMUNISTAS e aliados - piores ainda os possuidores de militância ativa - o grave pecado de apostasia - por auxiliarem na implantação de leis iníquas e homicidas.

Aliás, em sua ida à Alemanha, cidade de Erfurt, O S Padre Bento XVI classificou o Socialismo-Comunismo e Nazismo de "chuvas ácidas" e ao Socialismo-Comunismo de "peste vermelha" e ao Nazismo de "peste negra". O S Padre Leão XIII, por ex., disse: os comunistas, socialistas e niilistas são uma peste mortal que se introduz como a serpente por entre as articulações mais íntimas dos membros da sociedade humana, e a coloca num perigo extremo.

Acha boa idéia apoiar o acima, apostasiar-se e ser incrito desde já na agenda de Satanás para a eternidade?