Frase

"A Revolução Francesa começou com a declaração dos direitos do homem, e só terminará com a declaração dos direitos de Deus." (de Bonald).
São Paulo, sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Governador mexicano é multado em 2 mil dólares por haver mencionado nome de Deus em campanha eleitoral

Autor: Edson Oliveira   |   22:11   5 comentários

No passado, considerava-se delito blasfemar contra o nome de Deus, agora é crime mencioná-lo. Esse foi o caso do atual governador de Sinaloa, México, Mario López Valdez (foto acima) que venceu as recentes eleições para o governador e foi multado por ter, durante sua campanha eleitoral, pronunciado o nome de Deus.

O Tribunal Eleitoral do Poder Judiciário da Federação, órgão máximo na matéria no México, alegou a laicidade do estado e a proibição constitucional que proíbe o uso de expressões religiosas em disputa eleitoral, para justificar a punição.

Os Partidos derrotados ainda se acharam no dever de denunciar ao tribunal que Mario López invocou a proteção de Deus em outras ocasiões.

Como bem alertou o Professor Plinio Corrêa de Oliveira, em seu livro Revolução e Contra-Revolução, “o laicismo é uma forma de ateísmo. (...) Ele afirma a impossibilidade de se ter certeza da existência de Deus. De onde, na esfera temporal, o homem deve agir como se Deus não existisse. Ou seja, como pessoa que destronou a Deus.” (Parte I, Cap VII, pág 63, Art Press, 1998)

5 comentários:

O laicismo nâo visa banir o nome deus, mas o privilégio estatal a um determinado deus, já que cada religião tem o seu e todos possuem direitos iguais.

Explique isso para o Tribunal Eleitoral mexicano, pois parece que não é isso - por si já reprovável - que eles entendem por laicismo.

Em nome de Deus a igeja católica romana queimou vivos milhões de inocentes, para reunir o patrimônio que tem hoje, desfrutado por zelosos religiosos. O luxo e o exagero do Vaticano, ao invés de envergonhar os católicos, exulta os hipócritas afastados da realidade social, desejando restaurar cortes de luxúria e orgia, como esses palácios que os monarquistas adoram. Deveriam se envergonhar disso e adotar a ética da igreja de D. Tomaz Balduíno, de São Francisco, e não a de Pio XII.

Hã. Nosso esquerdista caricato é mais caricato do que eu imaginava. É um católico de esquerda.

Volto a repetir o que disse em outro tópico, seus comentários nesse baixo nível intelectual não serão mais aceitos. Achei que você era mais inteligente.

Veja pelo lado bom, agora você vai poder dizer que é uma "vítima de censura".

Edson, os comentários do Simom Bolivar são esquerdistas, mas não nos parecem de baixo nível intelectual. Eu os constestaria. Fique com Deus.